Dia a dia

Saiba como está o desempenho da escola estadual do seu/sua filho(a) no principal índice da educação


  •   
  •  

Região – Ok, seu filho(a) sai de casa, e todos os dias, vai para a escola. Mas, você sabe qual o desempenho da instituição de ensino estadual que ele(a) frequenta? O aprendizado é pleno e suas notas são boas?

Uma forma do Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) medirem o desempenho das escolas estaduais é através do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Na sua ampla maioria, todas as escolas estaduais de Araricá, Campo Bom, Nova Hartz e Sapiranga elevaram suas notas/índices no comparativo com o ano base 2015.



Essa manutenção e crescimento dos índices na avaliação da coordenadora da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (2ª CRE), Helenise Ávila Juchem, ocorre pelos instrumentos investigativos implantados pela 2ª CRE após a divulgação dos resultados a cada período.

“O Setor Pedagógico da 2ª Coordenadoria, após a divulgação dos resultados, organiza um instrumento investigativo que traz informações técnicas sobre as escolas e seu respectivo desempenho no IDEB, para poder estabelecer ações que auxiliem as escolas. O Estado possui o Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Rio Grande do Sul (SAERS) que é utilizado para auxiliar nesse processo de identificação de dificuldades que as turmas e escolas apresentam”, exemplifica Helenise.

Fique por dentro

No fundamental, o Ideb do Rio Grande do Sul subiu de 5,5 para 5,7 no 5º ano, e 4,0 para 4,3 no 9º ano. No ensino médio, também houve avanço de 3,3 para 3,4 pontos. A posição no ranking geral, considerando os demais estados, no ensino fundamental passou da 18ª colocação para 14ª no 5º ano, e de 15º para 13º lugar no 9º ano.



Pontos positivos de escolas

Nos anos iniciais (do 4º ao 5º ano) as maiores notas ficaram com a Escola Pedro Lenz, de Sapiranga e La Salle, de Campo Bom (ambas com nota 7.0 nos anos iniciais do Ensino Fundamental). Nos anos finais (do 8º ao 9º ano) as maiores foram das escolas sapiranguenses Willy Oscar Konrath e Genuíno Sampaio (ambas com 5.8).

Novamente a La Salle, de Campo Bom volta a aparecer com nota 5.4 seguida das escolas de Sapiranga Almeida Júnior, Pedro Lenz e Elvira Jost, de Nova Hartz. “O planejamento do professor parte de uma matriz de conteúdos mínimos para cada ano, construído em conjunto pelo corpo docente, revisado a cada ano”, cita Cátia Weizenmann, do La Salle.


Texto: Deivis Luz

Foto: Arquivo JR

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  • 29
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse