Dia a dia Posts em destaque

Plano de Arborização Urbana em Campo Bom, uma das cidades mais quentes de toda região


  •   
  •  

Campo Bom – A arborização de Campo Bom está em estado precário. Foi esse o diagnóstico da Secretaria de Meio Ambiente após a realização de um estudo inicial, que constatou como imprópria grande parte das espécies utilizadas, conflitando com fiação elétrica e estragando calçadas.

Segundo o secretário da pasta, João Flávio Rosa, o estudo foi realizado juntamente com o acompanhamento e orientação técnica da equipe de podas. “O objetivo foi conhecer quais as principais espécies de árvores utilizadas na arborização da cidade, quais são adequadas e quais são problemáticas”, declarou.



O estudo, que contemplou todos os bairros, faz parte da primeira fase do Plano Municipal de Arborização Urbana (PMAU) e irá indicar técnicas e espécies mais adequadas para cada local da cidade, traçando estratégias para recuperar e ampliar os índices de áreas urbanizadas.

Estima-se que existam cerca de 12 mil árvores nas calçadas do município, sendo que o número ideal para composição paisagística dos passeios seria de cerca de 26.500.

Dentre as dez espécies mais usadas na cidade, oito são consideradas impróprias para arborização urbana por causarem danos a fiação elétrica, calçadas ou por serem muito suscetíveis a parasitas como erva de passarinho.

A árvore mais comum foi canela-da-índia (21%), considerada inadequada.

Prefeito Luciano Orsi valoriza plano e incentiva plantio de espécies adequadas

Para o prefeito, Luciano Orsi, os dados coletados reforçam a necessidade da elaboração de diretrizes para o plantio de espécies adequadas para arborização urbana. “Estas espécies também tendem a ficar doentes e feias pelas repetitivas podas, que na maioria das vezes são feitas de forma incorreta”, frisou o prefeito.


Plantio de mudas já iniciou

A próxima fase do Plano consiste na conclusão do documento, com diretrizes e definições, para após ser aprovado como lei municipal. Mesmo antes da conclusão, o projeto já conta com duas ações experimentais de plantio. A primeira foi a revitalização da rua Pastor Frederico, no Centro. E a segunda (foto acima) foi a arborização da praça do Imigrante Norte e parte das ruas Franscisco Stenert e Santa Cruz, onde foram plantadas 60 mudas. João Flávio observa que entre as estratégias para a implantação do projeto está o envolvimento da comunidade nos plantios e a educação ambiental para preservação. “Foram criadas diversas formas de participação para empresas e comunidade. E também será criada uma cartilha com instruções básicas”, explica.

 

 

Texto: Sabrina Strack

Fotos: Divulgação

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  • 1.2K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse