Dia a dia Posts em destaque

Exército em Campo Bom reforça ações contra o mosquito Aedes aegypti


  •   
  •  

Combate ao Aedes | Municípios aumentam o controle para combater o mosquito

Região – “Engajamento” é a palavra de ordem nos municípios da região, quando o assunto é o combate ao mosquito aedes aegypti. Em Sapiranga, são mais de 80 agentes nas ruas, visitando residências e instruindo a população sobre os cuidados necessários para evitar que o município registre casos de doenças transmitidas pelo mosquito. Em Nova Hartz, há um calendário que prevê mutirões de visitas nos bairros dos municípios durante todo o mês de fevereiro.



As atividades foram intensificadas, principalmente, em razão da comprovação de que o mosquito também é o transmissor do zika vírus, que teve seu primeiro caso confirmado no Estado sexta-feira passada (5), como comenta o secretário de Saúde de Sapiranga, Emerson Leite. “Desde outubro, seguimos o planejamento municipal de combate ao aedes aegypti – combate que tomou um corpo mais significativo por causa do zika vírus, a partir de dezembro”, disse.

Exército em Campo Bom

Após ser considerado um município infestado – foram encontrados focos iniciais do mosquito no Centro (Rua Cairú), no bairro Genuíno Sampaio (Rua Almirante Barroso) e bairro Imigrante Sul -, Campo Bom receberá o reforço de soldados do Exército no Estado. “Nós fomos contatados pela 1ª Delegacia Regional de Saúde do Estado, que nos ofereceu o reforço dos soldados, por sermos um dos 168 municípios infestados do Estado, assim como Novo Hamburgo, São Leopoldo e tantos outros. Nosso primeiro passo foi aceitar a oferta do Estado. No momento, aguardamos contato do Estado para verificar a situação de logística, de quantos soldados vêm e quanto tempo devem ficar”, explica Jerri Moraes, secretário de Saúde de Campo Bom. Os 11 agentes de Endemias – que em breve irão combater o mosquito junto aos soldados do Estado – já visitaram 14 mil dos 22 mil imóveis do município.

Ações dos municípios para combater o aedes


Com mais de 200 larvas coletadas e testadas e após mais de 4.100 visitas feitas aos lares sapiranguenses desde outubro, o secretário Emerson Leite comemora o status de Sapiranga como um município livre de infestações – e projeta ações para que a situação atual se mantenha. “Precisamos agradecer à população, que tem nos auxiliado muito. É graças ao envolvimento dela que conseguimos fazer um trabalho correto, com resultado. Nosso maior resultado é não sermos um município infestado”, considera. Ele também comenta sobre outras medidas que serão tomadas no município. “Neste mês, faremos um treinamento com os médicos do município, para que saibam os procedimentos a serem realizados caso alguma gestante apresente sintomas do zika vírus. Quando o ano letivo iniciar, faremos uma campanha nas escolas, para que tenhamos ‘agentes de controle de endemias mirins’, também”, comenta Emerson.

Em Campo Bom, além das visitas dos agentes às residências do município, o secretário de Saúde Jerri Moraes destaca também o controle que Campo Bom faz em alguns pontos públicos da cidade. “As pessoas nos questionam muito sobre alguns pontos, como o espelho de água no CEI, o espelho de água no Largo Irmãos Vetter e a piscina do bairro Aurora. Esses são pontos públicos monitorados pela Vigilância Sanitária, que recebem visitas rotineiras. A água dos locais é tratada. São locais públicos controlados”, esclarece o secretário. Outra ação desenvolvida pelo município será uma palestra da Vigilância Sanitária aos professores da cidade, no ínicio do ano letivo. Como Campo Bom foi considerado como um município infestado, a diretriz, de acordo com a Vigilância Sanitária e o Ministério da Saúde é de retirar as armadilhas dos pontos estratégicos. “Nós da Secretaria temos outro entendimento, mas seguimos as diretrizes”, explica Jerri.

Em Nova Hartz, as 29 armadilhas são monitoradas por agentes do município, que farão em fevereiro visitas a oito bairros da cidade, além de mutirões de visitas nos bairros Centro e das Rosas (no dia 13) e Liberdade e Campo Vicente (no dia 27).

Em Araricá, 12 agentes fazem monitoramentos e visitações diárias por toda a cidade, que não registrou focos do mosquito. “Começamos o mutirão na semana pssada. Todas as casas serão visitadas”, diz a secretária de Saúde, Janete Solange da Silva.

Crédito da foto: Talita Assis

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse