Esporte Posts em destaque

Esporte adaptado é sinônimo de inclusão em Sapiranga


  •   
  •  

Sapiranga – Nove alunos (sete da Rede Municipal de Ensino e dois da Apae) participaram na manhã de terça-feira, 8, das provas de bocha adaptada dos Parajogos, no Ginásio Nenezão. A competição sapiranguense que credenciará os vencedores para disputar o Campeonato Paradesportivo Estudantil do Rio Grande do Sul (Paracergs), teve a participação da prefeita Corinha Molling, que destacou o trabalho da Administração de promover a inclusão através do esporte.”Adquirimos os kits de bocha adaptada visando a inclusão das crianças com necessidades especiais. Investimos nesta modalidade de esporte porque acreditamos nas potencialidades destas pessoas”, ressaltou

Nesta quarta-feira, 9, às 8 horas, foi a vez dos alunos do atletismo concorrerem nas provas de corrida, salto em distância e arremesso de peso, no Parcão. ”A etapa de terça-feira dos Parajogos definiu os campeões da competição bocha adaptada, para competir no Paracergs em Porto Alegre.”, disse Ana Patrícia Andrioli, que coordena o Setor de Projetos de Educação Física da Secretaria de Educação do Município.



O evento, que estava no calendário programado para o início de junho, mas foi adiantando em virtude dos demais jogos paralímpicos do Estado também terem suas datas antecipadas foi elogiado pela Secretária de Educação, Cultura e Desporto, Cláudia Kichler. ”Os Parajogos estão de parabéns. A importância do esporte para o desenvolvimento destas crianças é indiscutível, basta olhar a expressão de felicidade nos rostinhos”, destacou. Os alunos participantes foram todos premiados com medalhas e os vencedores inscritos no Campeonato Paradesportivo Estudantil do Rio Grande do Sul (Paracergs).

O que disseram os monitores

Os monitores que acompanharam as nove crianças da Rede Municipal de Ensino de Sapiranga e da Apae, nas disputas da bocha adaptada, na manhã de terça-feira, no Nenezão destacaram o benefício que o esporte traz à saúde destas crianças. Quem ficou feliz em participar das provas de bocha adaptada foi o aluno Guilherme Modesto, da EMEF Maria Ruth ”É muito importante as crianças participarem da competição, cria um vínculo com o esporte. A comunicação entre o Guilherme e o monitor Pedro de Oliveira é excelente e ajuda a desenvolver as habilidades do aluno com o esporte. Parajogos são uma forma de outros alunos perceberem o Guilherme”, destacou a diretora Cintia Raquel Krantz.

Para a monitora Marta Varella, que acompanhou o estudante Guilherme dos Santos, da EMEF Anita Lydia Wingert, destacou a importância de incentivar os Parajogos. ”É muito importante participar, os estudantes ficam entusiasmados. É uma experiência nova e inclusiva.”


O jogo

A bocha adaptada e com a utilização de canaleta para os competidores com maior grau de dificuldade, possui 13 bolas: uma branca, seis vermelhas e seis azuis. Dois competidores jogam alternadamente as bolas (um competidor joga com as bolas vermelhas e o outro com as azuis) tentando aproximá-las da bola branca (bola central do jogo). Cada uma das bolas (azuis e vermelhas) valem um ponto, sendo que o competidor que conseguir lançar um maior número de bolaspróximas à bola branca, soma mais pontos e vence a partida. A competição bocha adaptada teve ainda a participação do professor de educação física, Flávio Bressan.

Kits de bocha adaptada

No início do ano a Secretaria de Educação, Cultura e Desporto, adquiriu dois kits de bocha adaptada e desde então os alunos já estão se preparando para os Parajogos. Em 2017, Sapiranga conseguiu classificar cinco alunos para os Jogos Paralímpicos em São Paulo.

Fonte: Prefeitura de Sapiranga

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse