Entretenimento Posts em destaque

Adriano Vidal avalia suas duas décadas na música



  •   
  •  

Região – Pai, chefe de família e prestes a completar 38 anos. Esta semana o cantor Adriano Vidal visitou o Repercussão e avaliou a sua carreira, que está completando 24 anos de histórias. “Concilio os shows em bares, PUBs e casas noturnas com as aulas de música, pois também sou professor. Em média, estou fazendo cerca de três apresentações semanais, mas aos finais de semana, reservo para o convívio com a minha família, onde procuro passar momentos em comunhão”, pondera Vidal, recordando que procura adequar sua agenda com os seus projetos ligados à Igreja Quadrangular, do bairro São Luiz, e ao Ministério Mevam, no Centro, onde é membro. Adriano é casado com Neli Vidal, há 21 anos e pai de Thaís Vidal.

Na Igreja Quadrangular, Vidal presta um suporte para a banda local, onde faz a assistência nos aspectos envolvendo a musicalidade e o canto coral dos participantes. “Nas aulas particulares, também enfoco o canto e dicas para tocar violão. Prezo por fazer o que está ao alcance. Não adianta querer abraçar tudo e não ter uma qualidade de vida. Também possuo um projeto social, onde levo música em lares de idosos. No futuro, quero gravar músicas do evangelho”, projeta Adriano Vidal.

Guilherme Pilger

Carreira solo e projetos futuros do músico

O último trabalho de estúdio de Adriano foi o CD Boteco, gravado no próprio home studio que o cantor possui na sua residência. “A segunda etapa dessa gravação fiz em Porto Alegre, onde contei com um sanfoneiro e um percussionista. Além disso, gravei a parte de cordas com violões e contrabaixo e backing vocals. Para o futuro, tenho que ter a certeza do que vou fazer. Não posso simplesmente gravar um CD sem ter uma verdade. Tenho me preparado espiritualmente e peço a direção de Deus, vendo se é isso que ele quer para mim”, explica Vidal. Contatos com Adriano Vidal devem ser feitos pelo telefone: 997-213-093. Instagram: cantor.adrianovidal. Facebook: Adriano Vidal.


“Preciso ter uma verdade no que vou cantar”
Entrevista com Adriano Vidal, cantor, compositor e músico

Jornal Repercussão – De que forma você estrutura o seu repertório nas apresentações?
Adriano Vidal – Por eu tocar sertanejo em PUBs, a galera acha que só canto esse estilo, e muitas vezes, não conhece minha história. Sou músico há 24 anos e tem pessoas que não sabem como iniciei, em 1995. Toquei em diversas bandas e passei por diversos estilos. Do StarSom, que era de uma banda de Sapiranga, onde toquei por 10 anos, e nos moldávamos ao evento. Quando eu montei o meu projeto solo, fui mais para o sertanejo porque era o momento. Mas, tenho no meu repertório, caso o contratante solicitar, músicas nativistas, som mais ambiente, sons evangélicos. Ou seja, me moldo ao evento. Há também a opção de repertório em casamentos com piano, voz e violão.

Jornal Repercussão – Vocè é de uma geração de músicos pré-internet, onde não existia rede social, Spotify e essas ferramentas contemporâneas. De que forma você analisa essa transformação?
Adriano Vidal – Meus dois CDs estão na plataforma Palco MP3. Então, a galera pode procurar lá e baixar o som preferido. Também tenho minhas músicas no Spotify. A internet ajudou muito na divulgação. Divulgar o trabalho na grande mídia custa muito caro. Busco parcerias com as mídias locais e regionais – como o Repercussão. Através do Instagram é possível chegar e alcançar pessoas de diferentes lugares, cidades e regiões do país. Essa evolução da internet só veio a somar. Hoje, a velocidade da divulgação é muito rápida. Antes, você gravava um CD e tinha que visitar de porta em porta as rádios. Se o teu CD não estava em determinada loja, era necessário fazer todo um trabalho de logística para disponibilizá-lo. Hoje, o trabalho independente fora da gravadora custa menos, e é tudo contigo.

Jornal Repercussão – Como você avalia o atual momento da sua carreira? Qual o seu destaque final?
Adriano Vidal – Sou muito voltado a minha família e preso muito por isso. A família é uma obra de Deus e temos que zelar e cuidar. Tive vários momentos bons e ruins, e a minha família sempre esteve do meu lado. Minha filha, hoje com 20 anos, foi uma benção e tenho aprendido com ela. Deus não quer que você deixe de fazer o que você gosta ao virar cristão. Entendo que algumas letras que canto na noite não é para evangelizar. Toda a vez que vou para o palco e canto este tipo de canção falo para Deus. “Essa é a maneira de sustentar a minha família, por enquanto”. Mas, tenho vontade de mudar a trilha sonora que sai da minha voz.

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse