Dia a dia Posts em destaque

Angústia para famílias de invasão em Campo Bom


  •   
  •  

Déficit habitacional | Moradores de área invadida na divisa com Novo Hamburgo buscam solução para viver com mais dignidade

Campo Bom – As 79 famílias integrantes da Associação de Moradores da Ocupação Resistência e Luta – área às margens da Avenida São Leopoldo, esquina com a Avenida Santa Catarina -, no bairro Dona Augusta, seguem na articulação com a Prefeitura e com o Poder Judiciário para não serem despejadas.



Instalados em moradias precárias, sob o risco constante de curto-circuitos, sem água tratada e com esgoto a céu aberto, os moradores receberam esta semana a deputada estadual Manuela D’Ávila, do PC do B. A deputada estabeleceu um diálogo com os integrantes da Associação e determinou que sua assessoria promova um levantamento de dados de todo o histórico da comunidade. “Estou reunindo todas as informações de diversas ocupações para compartilharmos estas informações com os demais deputados que integram a Comissão de Habitação e de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa”, disse Manuela. A meta da deputada é auxiliar no que estiver ao alcance no âmbito da Assembleia Legislativa.

Cadastro de famílias concluído e inclusão em loteamento com projeto andando em Brasília

Quem acompanha todo o projeto que envolve a Associação de Moradores é a arquiteta do Departamento de Habitação da Prefeitura, Rosane Reichert. A servidora explica que existe um projeto de loteamento aprovado na Caixa Federal de Novo Hamburgo, mas a Prefeitura aguarda que ele seja aprovado no Ministério, em um prazo, mais ou menos, de 90 dias. “Se obtivermos êxito com a obtenção de recursos do governo federal, então é possível beneficiar as 79 famílias cadastradas da Associação no Loteamento Morada do Sonho, no bairro Morada do Sol. A construção desse empreendimento de 300 lotes, que ainda precisa ser totalmente construído, é de responsabilidade da Múltipla Cooperativa de Trabalho Habitação e Projetos”, contextualiza.

Prefeitura acompanha situação


A assessora e arquiteta do Departamento de Habitação da Secretaria de Assistência Social, Rosane Reichert, explica que o Município possui outros pontos de ocupação preocupantes, mas a Administração de Luciano Orsi optou em beneficiar a Associação Resistência e Luta devido à precariedade maior que a invasão apresenta.

Execução do projeto demorará para ter início

– Devido à situação de renda média das famílias – que não ultrapassa os R$ 1.600,00 – a cooperativa não vai cobrar contrapartida financeira dos futuros beneficiários. “Eles estão com casas próximas das outras e estão em um local de aterrissagem de aeronaves próximo do aeroclube de Novo Hamburgo”, cita Rosane.

– A prefeitura explica que no momento em que o projeto receber aprovação em Brasília, os recursos para a construção do loteamento serão liberados. “Depois de concluído o loteamento são liberados os recursos para construção das unidades. Quando todas as unidades estiverem prontas e o pessoal selecionado e aprovado na Caixa, os contemplados receberão as chaves. Vai demorar um longo período, pois implica em obras de infraestrutura como abertura de ruas, calçamento, água, luz, esgoto e iluminação”, pontua.

Quer ler o restante desta notícia? Assine a edição impressa do Jornal Repercussão. Ligue para: (51) 3064-2664

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse