Política

MP investiga supostas irregularidades em concurso em Nova Hartz


  •   
  •  

Indicativos | Ministério Público Estadual analisa série de concursos públicos realizados a partir de 2010 nos municípios

Região – Seis pessoas foram presas preventivamente durante a Operação Cobertura, promovida na terça-feira (15) pelo Ministério Público (MP). Durante o cumprimento dos 19 mandados de busca e apreensão foram recolhidos celulares, computadores e documentos relativos a licitações em residências, nas Prefeituras de Bento Gonçalves e Jacuizinho e nas sedes das seis empresas investigadas. O MP sustenta que há indícios consistentes de irregularidades nas contratações para a aplicação das provas de concursos nas Câmaras de Vereadores de Nova Hartz e Restinga Seca.



A Operação Cobertura foi coordenada pelo Promotor de Justiça da Especializada Criminal de Porto Alegre Mauro Rockenbach. “Comprovadas as fraudes, as Promotorias de Justiça locais (no caso de Nova Hartz, a Promotoria de Sapiranga será a responsável pela ação) entrarão com ações para anular os concursos realizados pelas empresas criminosas; é um efeito dominó”, disse Mauro Rockenbach. Rockenbach explicou que a vantagem recebida pela quadrilha era gerada pelo pagamento das taxas de inscrição.

As empresas suspeitas são: Instituto de Desenvolvimento em Recursos Humanos Ltda. (IDRH), Energia Essencial Concursos Ltda., Pontua Prestação de Serviços em Concursos Ltda., P.Mais Recursos Humanos Ltda., Tallentos Soluções Integradas, SS1 Serviços e Assessoria em TI, Ernesto Hattge Filho Ltda.

Prisão preventiva expedida em Sapiranga


Conforme o promotor Mauro Rockenbach, a Comarca de Sapiranga expediu os pedidos de prisão preventiva de Maicon Cristiano de Mello e Ernesto Hattge Filho. A expectativa do Promotor de Justiça Mauro Rockenbach é que a denúncia seja apresentada à Justiça em dez dias.

Câmara se posiciona

A Câmara de Vereadores de Nova Hartz, através do seu presidente, Valentin Melo de Thomaz (PT), externou que tem colaborado com o trabalho e as investigações do Ministério Público, no que se refere a “Operação Cobertura”, que apura possíveis irregularidades em concursos públicos no Estado. “Sempre atendemos as solicitações de cópias de documentos, e informamos a toda população que estamos à disposição para seguir contribuindo no bom andamento dos trabalhos das investigações, pois acreditamos no zelo da coisa pública, feita com ética e transparência. Ademais, esclarecemos que no ano de 2015, o Poder Legislativo não realizou nenhum concurso público para provimento de cargos”, disse Valentin.

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse