Dia a dia Polícia

Lar de Idosos deixa Araricá por falta de alvarás, migra para Nova Hartz e é flagrado com diversas irregularidades


  •   
  •  

Araricá/Nova Hartz – Um Lar de Idosos, que deveria prezar pela integridade de seus hóspedes e legalidade de seus atos, teve a sua interdição autorizada pelo Ministério Público (MP) de Sapiranga neste mês. Recentemente, setores da Assistência Social e da Vigilância Sanitária da Prefeitura de Araricá, tentaram entregar uma notificação de interdição para a responsável pelo estabelecimento.

O documento, além de deixar claro que o local seria interditado, concedia um prazo de 90 dias para que os responsáveis providenciassem a legalização completa do lar. Porém, os servidores de Araricá foram surpreendidos com a decisão de não assinar o documento de interdição.



Contrariada com a determinação judicial, a gestora do lar de idosos decidiu migrar de município e levou nove idosos e outros dois PCDs (Pessoa com Deficiência) para uma casa alugada, em Nova Hartz.

O translado dos idosos ocorreu entre os dias 12 e 13 deste mês, mas através de uma ação imediata da Prefeitura de Nova Hartz, através da Secretaria de Assistência Social e da Secretaria de Saúde, fez com que o estabelecimento do lar de idosos no município não prosperasse.

Com uma força-tarefa que contou com o apoio da Brigada Militar de Nova Hartz, as condições insalubres do local foram constatadas pela polícia e diversos membros da Prefeitura.

Relatório encaminhado para o MP sapiranguense, indicou que os medicamentos estavam dentro do carro da proprietária, em um saco de lixo separados em caixas identificadas, porém sem receitas médicas.

Diversas irregularidades encontradas pela força-tarefa



Uma série de inconformidades foram constatadas pela Brigada Militar, após intervenção do sargento, Gilson Borges Nunes, da Brigada Militar de Nova Hartz. “Havia três advogados nos impedindo de entrar na residência. Percebi que não era um local adequado para ser um centro de tratamento de idosos, entrei na casa e constatamos os idosos deitados no chão, sem alimentação, sem fogão na cozinha, sem chuveiro, quartos no escuro e idosos com fome”, explicou Gilson.

A secretária de Assistência Social de Nova Hartz, Mara Wagner, explicou que se o local seguisse as normas, a ação de interdição não teria ocorrido. “A responsável precisa regulamentar a situação do lar de idosos. Todos estavam em condições muito ruins, quando eu entrei no quarto fiquei chocada com o que eu vi. Não podíamos permitir que isso continuasse. Todos foram muito efetivos, e das 16 às 23 horas todos os idodos foram encaminhados para os seus familiares”, esclareceu Mara.

O Jornal Repercussão entrou em contato com a responsável pelo estabelecimento. Na segunda-feira (24), a proprietária esteve na sede do Jornal Repercussão, mas informou que não daria explicações sobre o caso, pois entendia que esse papel cabia ao seu advogado.

Tão logo a reportagem recebeu da própria responsável pelo estabelecimento o número de telefone do advogado, se entrou em contato com ele. Em ligação, o defensor da proprietária do lar de idosos explicou que devido o processo estar em andamento, não emitiria um posicionamento público sobre o caso.

Porém, mencionou ao telefone que existem inconformidades, no seu entendimento, sobre documentos que Prefeitura de Araricá argumenta estarem vencidos. Além disso, o advogado, Jeferson Ellwanger, disse que prefere não dar mais informações sobre a defesa, pois o processo ainda está na sua fase inicial, mas no momento adequado se posicionará de forma pública.

Confira fotos da situação:

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  • 261
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse