Polícia

DP de Sapiranga obtém marca histórica e está há mais de 150 dias sem homicídios


  •   
  •  

Sapiranga – Sapiranga está desde o início do ano sem registrar homicídios. O resultado excelente é fruto do trabalho realizado por toda a equipe de investigação, sob comando do delegado da Polícia Civil da Cidade, Fernando Pires Branco.

Para Branco, são diversos os motivos que levam ao dado positivo, salientando que um pouco de sorte também é um deles, já que homicídios passionais ou resultado de brigas, são imprevisíveis. “Mas, aquele homicídio que a gente pode prevenir, que é aquele ligado à guerras de facções, esse tipo, nós acreditamos que é motivo do trabalho desenvolvido. Combate intenso e número de prisões. Enfraquecimento das facções criminosas. Todos os fatores, somados, levam a essa queda”, explica o delegado.



Os conhecidos como “matadores do tráfico”, responsáveis por muitos homicídios na cidade, hoje, estão todos presos. “Enquanto há consumo de drogas, vai existir tráfico. Óbvio que não quero ser utópico em achar que vamos acabar com isso. Mas tentamos enfraquecer eles para que percam o poder. É um trabalho desenvolvido ao longo dos anos, que reflete agora neste número zerado”, pontua Branco.

E a volta do plantão?

O delegado falou também sobre o fechamento do plantão em Sapiranga, devido a diminuição do quadro de policiais. “Eu não sou insensível, só acho que não dá pra comprometer o trabalho primordial da Polícia Civil, que é investigação, pelo plantão. Tão logo tenhamos servidores em número suficiente, eu vou normalizar o plantão”, explica. Um concurso está em andamento, mas ainda sem previsão de novos policiais para a DP Sapiranga.

Foco no trabalho da equipe

Branco visualiza um futuro de paz para a cidade. “Acho que é o que todo mundo quer”, diz. O delegado ainda destacou o apoio que a DP recebe da comunidade. “Não posso reclamar da ajuda que a gente recebe. Tanto do ponto de vista material, quanto do trabalho. As pessoas ajudam no que podem. Claro que melhorou quando os resultados começaram a surgir. Estamos satisfeitos e acho que a maior parte da comunidade reconhece o trabalho”, declara.


Os resultados, avaliados como plenamente satisfatórios pelo delegado, são frutos do trabalho realizado pelo setor de investigação da Delegacia, chefiado por Carlos André Medeiros, que ressalta a forma de trabalho . “Trabalhamos por especificidade e por ciclo. Não por dupla. Cada policial se dá melhor em alguma função. E durante o ano, combatemos tudo. Operações contra tráfico, homicídio, roubo (etc.). E atendendemos isso de uma forma ágil, que a gente não fique preso nisso. Investigação simultânea. Quando não faz simultânea, a comunidade sofre. Essa é a diferença do trabalho”, avalia Medeiros. Hoje, a delegacia opera em regime de sobreaviso para crimes violentos. “Existe um plantão. Mas não fixo na delegacia. Homicídios, para resolver, tem que chegar na hora. Tanto que a gente baixou de 30 para 0 o número”, ressalta o investigador.

Números

Ano             Prisões
2016              124
2017               181
2018               67
Total            372

Ano        Homicídios
2014              28
2015               14
2016               18
2017               19
2018           ZERO

Texto e fotografia: Sabrina Strack

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  • 920
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse