Geral

Região vive incerteza para ter passe livre estudantil


  •   
  •  

Região – Depois de ir às ruas no mês de junho e cobrar (entre outras medidas) o passe livre, os estudantes de Araricá, Campo Bom, Sapiranga e Nova Hartz vivem um clima de incertezas. Ao mesmo tempo em que secundaristas e universitários veem seus colegas estudantes de outros municípios (casos de Porto Alegre, Canoas, Alvorada, Esteio e Viamão) conseguirem o tão sonhado passe livre para chegar às escolas e universidades, a juventude da região, que depende do transporte público, ainda se vê obrigada a pagar o valor inteiro da passagem.
Este problema se dá pelo fato de que em Araricá, Campo Bom, Sapiranga e Nova Hartz, o sistema de bilhetagem eletrônica ainda não ter sido implantado nos ônibus de transporte intermunicipal. Conforme a Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), as empresas responsáveis pelo transporte de passageiros têm  um prazo de 60 dias para implantarem o sistema eletrônico.
Para o presidente da União Estudantil de Sapiranga, Ismael Boeira, os problemas de ordem burocrática não podem prejudicar os estudantes. “Se for necessário pressionar os vereadores de Sapiranga para que eles  contribuam com a nossa luta de anos, assim faremos”, destaca o líder estudantil.
Conta deve ser paga pelo Estado
*A Metroplan explica que todos os custos para a implantação do passe livre estudantil serão custeados pelo Governo do Estado. Mas, há receio dos prefeitos de que o repasse não seja cumprido. Entre as prefeituras atentas aos movimentos do governo estadual, está Campo Bom.
*O benefício do passe livre que dá o direito a duas passagens diárias aos estudantes em Araricá, Campo Bom, Sapiranga e Nova Hartz, ainda não tem prazo para entrar em vigor. 
O que será necessário para ter o passe livre:
Quem tem direito
Estudantes que comprovem renda de até 1,5 salário mínimo, que residam em uma cidade, mas estudem em outra e que comprovem frequência nas instituições de ensino.
Como será o acesso ao benefício
É necessário ter a carteira da União Gaúcha dos Estudantes (Uges), no caso dos estudantes de ensino fundamental, médio, EJA e técnico ou a carteira da União Estadual dos Estudantes (UEE), para acadêmicos do ensino superior. 
Como fazer a carteira
Pela regra atual, estudantes que residem na região Metropolitana, devem confeccionar a carteira da Uges ou UEE 2013 que permite o passe livre. Os estudantes deverão preencher uma ficha de adesão disponível no site da Metroplan e apresentar os seguintes documentos: foto 3 x 4, cópias do CPF do aluno e responsável (para menores de 18 anos), atestado escolar 2013, cópia do RG, cópia da conta de água ou luz e comprovante de renda das pessoas que residem junto com o estudante. É necessário pagar uma taxa de R$ 15,40.
Prazo de validade
A carteira que dará passe livre aos estudantes terá validade de um ano, com necessidade de revalidação semestral (no casos dos universitários).
Carteira provisória
A lei estabele ainda a emissão da Carteira Estudantil provisória, para exercício do direiro ao subsídio. Informações: 3023-3936
Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse