Geral

Polêmicas viagens para Brasília geram visões distintas em Nova Hartz



  •   
  •  

Nova Hartz – A cada movimento de embarque para Brasília ou outra cidade por parte dos vereadores o filme se repete. É uma enxurrada de críticas e contestações da população e dos próprios parlamentares contrários ao expediente das diárias. Olhares divergentes a parte, é possível entender os dois lados. Enquanto uma corrente – a que defende as viagens – pontua o quanto é fundamental sair do município de origem, embarcar no avião e bater na porta do deputado, na Capital Federal, outro lado, contextualiza que as viagens não são necessárias, pois elevam o custo da máquina pública.

Independente de qual a corrente está certa, o Jornal Repercussão, com base nas informações prestadas pela direção da Câmara de Vereadores, estruturou uma lista do que é possível comprar, na área da saúde, em exames, consultas e até cirurgias, com os R$ 16.286, 24 utilizados por quatro vereadores (Oseias da Cruz Oliveira, Eloir Colombo e Neiva Scherer Benkenstein, os três do MDB, além de Robinson Bertuol, do PSC), que recentemente participaram da XVI Marcha dos Vereadores, na semana passada.

O curso, a estadia, a alimentação, as passagens aéreas (de ida e volta), além dos deslocamentos em Brasília, foram custeadas pelo erário público. Mas, os vereadores argumentam que somente através da ida à Capital Federal é possível obter recursos expressivos, conforme avalia o presidente da Câmara, Eloir Colombo.

Polêmica se estendeu na Prefeitura

“O vereador que fala que não precisa ir para Brasília não sabe o que está falando”, retruca Colombo.

A direção da Câmara de Vereadores informou que cada um dos quatro vereadores recebeu R$ 2.100,00 para custear a estadia, alimentação e transporte na cidade de Brasília. Ou seja, foram gastos R$ 8.400,00. Além deste custo, a Câmara de Vereadores bancou as passagens aéreas das lideranças. Ao todo, as passagens custaram outros R$ 7.886,64 para os quatro vereadores, totalizando R$16.286,24.

Logo após o embarque dos vereadores, o prefeito de Nova Hartz, Flavio Jost, contestou a viagem dos vereadores. “A lei nova nem chegou para eu sancionar e viajaram sem ela estar aprovada. É completamente errado”, disse o prefeito.

A direção da Câmara informou que o responsável pelo departamento jurídico da Casa instruiu o presidente, Eloir Colombo, a providenciar uma ordem de serviço autorizando a viajarem. Agora, a Câmara aguardará mais uma semana a sanção ou não da nova lei das diárias da Câmara de Nova Hartz. Caso a sanção não ocorra, o presidente, Eloir Colombo, terá 48 horas para sancionar.

O secretário de Administração da Prefeitura, Leonel Schaefer, ressaltou que a Prefeitura faz economia no aspecto das diárias. “O prefeito só vai à Brasília quando é extremamente necessário. Recentemente, o secretário William e o procurador jurídico foram à São Paulo e voltaram no mesmo dia”, disse Leonel.


Confira o que foi articulado pelos vereadores

Robinson Bertuol, vereador do PSC
“O Colombo e eu obtivemos uma emenda de R$ 180 mil para a APAE comprar uma van equipada para o transporte dos alunos. Além, em uma agenda com o Ministério da Agricultura, obtivemos R$ 100.000,00 para a Prefeitura comprar alimentos junto aos agricultores para a merenda escolar. Além disso, obtivemos R$ 200.000,00 para pavimentação de ruas no município. Todas, emendas do deputado Alceu Moreira (MDB). A viagem se pagou, sem dúvidas. Não considero que gastamos dinheiro público, considero um investimento. Além disso, descobrimos que a Prefeitura está prestes a perder R$ 148.000,00 na área da Assistência Social. Se esse dinheiro não for revertido em benefício da população, a Prefeitura perde esse dinheiro. Nos próximos dias, apresentaremos os resultados obtidos à APAE e para a Prefeitura.”

Eloir Colombo, pres. da Câmara de Nova Hartz
“Os R$ 16 mil usados para a viagem em Brasília se pagaram. Além disso, a Neiva e o Oseias trouxeram boas notícias da agenda com o deputado, Giovani Feltes (MDB). Tenho a plena convicção de que a Prefeitura deixa de captar entre 5 a 6 milhões de reais porque não sabe como fazer. A Prefeitura deveria ter uma pessoa só para captar recursos”

Oseias da Cruz Oliveira, vereador do MDB
“A Neiva e eu obtivemos importantes conquistas em Brasília. Ir à Brasília é se diferenciar, pois o MDB tem 1.190 vereadores no Estado. E os deputados sempre vão dar atenção aos vereadores que batem na porta, em Brasília. Falar com o deputado por telefone não é a mesma coisa do que ir à Capital Federal. Eles recebem ofícios de vários vereadores de todo o Estado e é fundamental conversar olho no olho.”

Neiva Scherer Benkenstein, vereadora do MDB
“Buscamos apoio para oito ações. Na Secretaria Nacional do Esporte, pedimos ao deputado Feltes o apoio para viabilizar no Ministério o projeto Brincando com o Esporte, que reverterá em R$ 107.000,00 ao Município. No FNDE, articulamos o Programa Mais Alfabetização que já foi liberado para a Escola Imigrante. No Ministério da Agricultura, buscamos apoio para a implantação de uma mini indústria de conservas e compotas, para beneficiar a Cooperativa de Agricultura de Nova Hartz. Estamos na expectativa de obter R$ 385.550,00 para a área. Além disso, levamos dois projetos para pavimentação de ruas, outro projeto para um Centro Comuntário no Loteamento Ipê e solicitamos uma ambulância para a Associação do Corpo de Bombeiros Voluntários de Nova Hartz.”

Ida de quatro vereadores custou aos cofres públicos: R$ 16.286,24

 

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse