Parceria entre o Hospital Sapiranga e Santa Casa beneficia duas pessoas com transplante de órgãos - Jornal Repercussão Jornal Repercussão
Jed_Comunicação Anúncio Site JR_PoupeCredi_2
Jed_Comunicação Anúncio Site JR_PoupeCredi_1

Sapiranga – Esta semana, o Hospital Sapiranga, desenvolveu em conjunto com a Organização de Procura de Órgãos (OPO), da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, a captação de órgãos de uma paciente vítima de rompimento de aneurisma cerebral.

A equipe responsável pela coleta dos órgãos, promoveu a retirada de dois rins. Conforme informações da enfermeira da OPO, Kelen Machado, duas pessoas serão beneficiadas os órgãos.

O diretor-técnico da Casa de Saúde, Dr. Eduardo Melnick, revela como ocorre o processo. “Uma vez identificado um possível doador, ocorre um processo bastante rigoroso para o diagnóstico de morte encefálica, conhecida como morte cerebral. Nesse momento, a família do paciente é comunicada sobre o possível diagnóstico de morte. Esse processo é bastante delicado e exige a ação de profissionais extremamente capacitados”, contextualiza Melnick.

Eduardo ainda ressalta que o grande obstáculo para os transplantes é a carência de doadores, em razão da falta de informação, pois a quantidade ainda é pequena diante da demanda de pacientes que esperam por uma cirurgia. Por isso, o doutor ressalta que é fundamental informar a família sobre o interesse de ser um doador de órgãos, pois a decisão será deles.

No mês de fevereiro o Hospital Sapiranga também promoveu em conjunto com a OPO da Santa Casa de Misericórdia, a captação de órgãos de outro paciente diagnosticado com rompimento de aneurisma cerebral. Deste doador foi possível doar os rins, pulmões e fígado, que beneficiaram mais quatro pessoas.

Como é possível ser doador de órgãos?
No Brasil, o transplante só acontece com a autorização de um familiar do doador. Por isso, é fundamental falar com a família sobre o desejo da doação. A doação de órgãos só acontece após autorização por escrito do familiar.

Que tipos de doador existem?
Doador vivo – Qualquer pessoa saudável pode doar um dos rins, parte do fígado, medula óssea e parte do pulmão. Pela lei, parentes até 4º grau e cônjuges podem ser doadores; não-parentes, somente com autorização judicial.

Doador com morte encefálica – São pacientes em UTI com morte encefálica, geralmente vítimas de traumatismo craniano (característico de acidentes com carro, moto, quedas etc) ou derrame cerebral . A retirada dos órgãos é realizada em centro cirúrgico.

Quais órgãos e tecidos podem ser doados?
Coração, pulmão, fígado, pâncreas, rim, córnea, ossos, músculos e pele.

Após a doação o corpo fica deformado?
Não. A retirada dos órgãos é uma cirurgia como qualquer outra. O corpo é reconstituído após a intervenção cirúrgica e o doador poderá ser velado normalmente.

Quem recebe os órgãos e/ou tecidos doados?
Aquele que estiver na lista de espera gerenciada pela Central de Transplantes do Estado e for compatível com o doador.

Fonte: Adriana Severo | Hospital Sapiranga

anuncio-delicia-728-90

Campo Bom oficializa interesse em abrigar uma f...

Geral

40ª edição do Rodeio Nacional de Campo Bom de 2...

Entretenimento

Combate ao alcoolismo encontra apoio no A.A de ...

Geral
Delícia Padaria e Confeitaria
Delícia Padaria e Confeitaria

Campo Bom se destaca na região por ser única com controle populacional animal

Geral

Fé e animação buscam acolher jovens em Sapiranga

Geral

Sapiranga comemora seus 63 anos no dia 4

Entretenimento

FaberNet se destaca pela agilidade e inovação

Geral

Campo-bonense Emeli Schaffer brilha na França

Esporte
Delícia Padaria e Confeitaria
Delícia Padaria e Confeitaria

Praça Arlindo Weber sem prazo de entrega

Geral

Nova Hartz inicia ações para asfaltar Rua Dois de Dezembro

Geral

anuncio-delicia-728-90