Geral Posts em destaque

Episódios de arruaça em frente ao Parcão voltam a incomodar cidadãos

SENAC Novo Hamburgo

SENAC Novo Hamburgo

  •   
  •  

Sapiranga – Quando a noite cai, por questões de segurança e de operação no Parque do Imigrante, a Prefeitura fecha o espaço público. A medida serve para preservar de vândalos os equipamentos existentes no interior do espaço. Entretanto, a concentração de veículos e de dezenas de pessoas na esquina da Avenida Mauá com a Avenida 20 de Setembro e por um trecho da ciclovia tem tirado, literalmente, o sono e a paciência de moradores que residem nas adjacências do Parcão. Após o sábado (5), cidadãos deixaram mensagens na página do Repercussão no Facebook alertando sobre novos episódios de arruaça, que envolveram entre outras contravenções, som alto no período de silêncio, motoristas embriagados, malabarismo com motocicleta, além do consumo escancarado de entorpecentes.

Os moradores alertam ainda sobre a sujeira deixada pelos frequentadores do espaço. São sacolas plásticas, latas e garrafas de cerveja, embalagens de alimentos entre outros materiais recicláveis que são jogados no chão durante o período em que as pessoas ficam concentradas no local bebendo e se alimentando.


Guilherme Pilger

Para o capitão responsável pelo policiamento ostensivo em Sapiranga, Juliano Arali, os fatos referentes a perturbação do trabalho e do sossego alheio, bem como a perturbação da tranquilidade, leva a Brigada Militar a atuar de forma contínua contra tais ações. “Quando ocorrem situações específicas, de forma enfática são tomadas ações repressivas, e de forma concomitante, de maneira preventiva, são tomadas ações junto à outros órgãos. Ainda é preciso entender que existindo o fato, é extremamente necessário que o ofendido informe a Brigada Militar, para que esta adote os devidos procedimentos legais”, avalia o capitão da Brigada, Juliano Arali.

Guarda

O chefe da Guarda de Trânsito de Sapiranga, Sidinei Soares, comenta que possui conhecimento dos episódios que têm ocorrido nas madrugada. “É uma situação crítica. Mas, é importante a população entender que não somos uma Guarda Municipal que utiliza arma. Caso a Brigada faça uma operação seremos parceiros em agir”, cita Sidinei.

Brigada explica que abordagens são constantes

O tenente-coronel responsável pelo 32º Batalhão de Polícia Militar, João Ailton Iaruchewski, explicou que a Brigada Militar tem feito atuações constantes no local. “Praticamente todos os finais de semana, promovemos abordagens, identificamos pessoas, e é feito a verificação da documentação dos veículos. Também verificamos as condições de trafegabilidade dos veículos e situações do som alto”, destaca Ailton.

Por outro lado, Ailton destaca que a Brigada Militar está monitorando através do serviço de inteligência da instituição, e que projeta levantar dados e informações sobre os fatos que ocorrem no Parcão. “Nossa meta é repassar para o policiamento ostensivo para que sejam tomadas as providências legais e não descartamos a realização de operações na região no futuro”, avalia o tenente-coronel.

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse