Geral

Entre municípios, Sapiranga terá o maior reajuste ao funcionalismo



  •   
  •  

Região – Maio é mês de reajuste para o funcionalismo público municipal. Na região, cada Município tem a sua realidade, conforme apresentado por Prefeituras e Sindicatos.

Em Sapiranga, o índice que será aplicado é de 2,76% IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo – índice oficial de inflação no país) e o Vale Alimentação de R$507,00, a partir de 1º de maio. O percentual foi aceito pela classe, conforme confirmou o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Sapiranga – SISMUS, Paulo da Luz. “Entrou o que pedimos, o que a assembleia aprovou. 100% da inflação do período, que vai de 1º de maio de 2017 a 30 de abril de 2018”, explicou, ressaltando que o percentual ficou dentro do esperado pela categoria e que os demais itens da pauta seguem em negociação com a Administração. Dentre os itens que a classe ainda busca acordo com a Prefeitura está a modernização e reestruturação do plano de carreira do magistério e criação do plano de carreira dos profissionais da educação infantil. O funcionalismo sapiranguense ainda irá buscar, em negociações futuras, uma reposição inflacionária visando a recuperação das perdas históricas, com a criação de uma política escalonada de reposição salarial que recomponha as perdas dos últimos 20 anos, assim como um vale alimentação de, no mínimo, R$530,00 e aumento dos valores do Adicional Noturno.

Reajuste nos municípios

Campo Bom 0,7%
Rejeitada. Classe aguarda agendamento de reunião com Administração Municipal para negociação do reajuste.

Nova Hartz 1,56% INPC
Aguardando aprovação pela classe. Votação foi em assembleia na noite da quarta-feira, 16

Sapiranga 2,76% IPCA
Proposta aceita pela classe. Agendada para votação na Câmara no dia 22/05.

Araricá 2,68%
Válido a partir de 1º/4

Fontes: Sindicatos e Prefeituras


Situação em Campo Bom e Nova Hartz

Campo Bom

Em Campo Bom, após rejeição pela Câmara em março, do 0,7% proposto pela Administração, a classe, conforme o presidente do Sindicato, Silberto Mauer, aguarda pelo agendamento de uma reunião com a Administração, para tratar do assunto. “Nós mantemos nossa proposta de março, que era de 10%, sendo 5% no mês e 5% em cinco parcelas sucessivas mensais”, explica Mauer. A Prefeitura informou, por meio da assessoria, que mantém a sua posição de que a proposta do 0,7% era a mais coerente com a realidade financeira do Município. O debate será reaberto após análise dos dados relativos ao 2º quadrimestre do ano.

Nova Hartz

Em Nova Hartz, conforme o representante do Sindicato, Rodrigo Braseiro, a proposta da Prefeitura foi debatida pela categoria em assembleia na noite desta quarta-feira, 16, quando então foi decidido pela aceitação ou não da proposta. (decisão ocorrida após fechamento da edição impressa do Repercussão). A Prefeitura, em nota enviada ao Repercussão, diz entender a reivindicação dos servidores, mas salienta que dos 13 anos sem aumento real, apenas um corresponde a atual administração. “Não nos eximimos de nossa responsabilidade. Fizemos proposta de 1,56% de reajuste salarial, seguindo INPC, lamentamos não poder acenar com o aumento real, mas temos que administrar com responsabilidade”, diz a nota, que ainda aponta a necessidade de buscar aumentar a receita do Município para poder oferecer, nos próximos anos, um reajuste melhor.

Texto: Sabrina Strack        Fotografia: Divulgação

Criação de SItes Sapiranga

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse