Geral

Cuidados com os hábitos do pet em dias quentes


  •   
  •  

Dicas | Risco de elevação de temperatura dos cães é grande

Por Felipe Cemim, veterinário da Tierplatz



Apesar de estar terminando o período mais quente do ano, e estarmos enfrentando temperaturas mais amenas, vou falar sobre um assunto importante, a pedido de um leitor, o dono do Apollo, um lindo e querido cão da raça dogue alemão, que sugeriu o assunto após enfrentar problemas com o cão de um conhecido.

Durante o verão, a cada ano que passa, enfrentamos temperaturas médias mais altas, e nossos amigos de quatro patas sofrem bastante com o calor. A eficácia de perda de calor dos cães e gatos é muito inferior à nossa, pois eles não possuem glândulas sudoríparas na pele. As glândulas sudoríparas fazem com que a gente perca calor pelo suor, umidecendo a pele e diminuindo a temperatura corporal.

Os animais, por sua vez, conseguem apenas perder calor pela evaporação da água pela respiração, podendo não ser o suficiente em algumas situações. O maior problema é que com o aumento da temperatura corporal, a tendência é de que a frequência respiratória aumente cada vez mais, até atingir um patamar onde a geração de calor pelo esforço respiratório é maior do que a capacidade de diminuição do calor. É nesse momento que o perigo é grande, pois o animal começa a ficar com a temperatura corporal cada vez maior, e não consegue reverter o quadro.


O risco da elevação da temperatura em cães é muito grande, e uma temperatura que ultrapasse os 41°C já pode desencadear a desnaturação de proteínas sanguíneas e dificultar o transporte de oxigênio para o metabolismo celular, podendo levar o animal a óbito.

Crédito da foto: Divulgação

Quer ler o restante desta notícia? Assine a edição impressa do Jornal Repercussão. Ligue para: (51) 3064-2664

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse