Geral

Atingidos pela cheia do Sinos podem ter isenção da Corsan


  •   
  •  

Campo Bom – Na maior enchente desde 1965 no município, Cledinéia da Silva, 34 anos, moradora do bairro Operária, estava entre as 700 famílias que tiveram suas casas atingidas pela cheia do Rio dos Sinos, no final de agosto. Com a liberação da Caixa Federal para o saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) no mês passado, centenas de famílias puderam retirar o recurso e utilizar na reestruturação de suas casas.
Esta semana, mais uma boa notícia chegou à Prefeitura e Câmara de Vereadores de Campo Bom: a Defesa Civil do Estado reconheceu a situação de emergência. Agora, conforme o secretário de Desenvolvimento Social e Habitação, Francisco dos Santos Silva, os esforços da Prefeitura estão concentrados nos encontros com a Corsan. “Queremos que o Estado ajude as famílias atingidas e isente, por seis meses, a cobrança da tarifa de água para as 700 famílias cadastradas”, explica o secretário.
Reversão após negativa
No início de outubro, após o Governo Federal ter negado a situação de emergência em Campo Bom, a Prefeitura conseguiu reverter a situação. A persistência garantiu o saque do FTGS para mais de 700 famílias.
Agora, a intenção da Prefeitura é sentar com a diretoria da Corsan para negociar a isenção da tarifa de água por seis meses. Não há prazo para a concessão do benefício.
O secretário, Francisco dos Santos Silva, destaca que a Defesa Civil do Estado veio conferir os estragos, de fato, 30 dias após a enchente que afetou, principalmente, os bairros Barrinha, Porto Blos, Vila Rica e Operária. “Mostramos todos os estragos aos técnicos do Estado”, relembra.
Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse