Dia a dia Entretenimento

Servidores públicos se empenham para deixar o Parcão em ordem e receber milhares de visitantes em Sapiranga


  •   
  •  

Sapiranga – Organizar a estrutura da Festa das Rosas exige um trabalho em conjunto e centenas de pessoas. Na semana que antecede a abertura dos portões do Parque do Imigrante, toda a responsabilidade recai sobre a equipe da Secretaria de Obras. São centenas de reparos necessários na parte elétrica, hidráulica, na jardinagem, na iluminação e limpeza de todo o Parcão.

E este trabalho braçal de deixar o parque apto para sediar um dos maiores eventos do Vale do Sinos e do Estado recai nos servidores públicos, alguns com mais de 25 anos de serviços prestados à sociedade. O Repercussão entrevistou dois servidores e uma servidora que explicaram as melhorias do Parcão nas últimas décadas, momentos marcantes e suas atrações preferidas na edição 2018. No comando da equipe está o secretário de Obras, Eduardo Freese. “Estamos fazendo de tudo para a festa ser boa e atender todo mundo. Nosso esforço é fazer de tudo para os visitantes se sentirem bem dentro do Parcão. Na véspera da Festa, mobilizamos cerca de 28 funcionários para deixar a estrutura pronta”, contextualiza Eduardo.



Em um ponto, os servidores concordam. “Podem vir prestigiar a festa que tudo vai estar bem organizado”, convida Nei Martinelli. “Convido os visitantes a prestigiar nosso Parcão e a Festa. Venham com alegria, paz e nos ajudem a cuidar de tudo”, convoca Luciane Koetz.

Servidores empenhados

Luciane Koetz, 44 anos, 25 de Prefeitura

“Cada ano que passa o Parcão evolui e a Prefeitura investe mais nele. Isso é muito importante para a comunidade e os servidores. Uma das festas marcantes foi a participação do Lucas Lucco. Ele foi um artista muito carinhoso com o pessoal e bem simpático. Um dos itens que o Parcão poderia agregar são mais banheiros. Lamento os episódios de vandalismo contra o nosso Parcão. Neste ano, a atração que eu quero assistir é o Luan Santana”.

 


João M. dos Santos, 53 anos, 25 de Prefeitura

“O primeiro evento, em 1997, foi muito trabalhoso e esse marcou. Não havia nada de estrutura no Parcão e montamos tudo do zero, pois em duas semanas seria a abertura. Agora, temos quase tudo. Aqui no Parcão, na hora de deixar tudo preparado, o bicho pega. Se o profissional não estiver preparado ele corre. Atualmente, contamos com uma estrutura muito boa e a parte elétrica está toda em dia. Podem vir tranquilos para a Festa que ninguém vai se arrepender.”

Nei Martinelli, 53 anos, 26 de Prefeitura

“Quando a festa está prestes a iniciar, a atenção dos servidores da Secretaria de Obras se volta para o Parcão. A primeira festa que eu participei e me marcou foi a retomada da festa. Havia só um galpão e choveu forte, e tivemos que ajustar muitas coisas para a festa sair. Agora, está tudo mais organizado e fácil de trabalhar e as melhorias ocorrem a cada ano. Acredito que o Parcão poderia ter mais pavilhões. Mesmo assim todos podem vir prestigiar a Festa, que vai estar bem organizada”.

Texto e fotos: Deiviz Luz

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  • 340
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse