Dia a dia Política Posts em destaque

Sapiranga está de olho nos serviços da Corsan e da RGE


  •   
  •  

Sapiranga – O mínimo sinal de tempo ruim ou de torneiras secas nos bairros sapiranguenses é suficiente para acender o sinal de alerta nos membros da Prefeitura. Os frequentes e recentes episódios de falta de energia elétrica e de desabastecimento de água têm preocupado a prefeita, Corinha Molling, e técnicos da Administração. Para encaminhar sugestões e necessidades identificadas por moradores e por representantes do Poder Público, recentemente, uma audiência pública foi organizada e contou com a presença de representantes da RGE Sul.

Corinha Molling, disse que a RGE sempre atende as necessidades da Prefeitura de maneira cordial, mas ressaltou a necessidade de aprimorar essa relação com a concessionária de energia.



“Sabemos que precisamos da empresa, mas moramos no município e tudo acontece aqui. Entendemos que a RGE Sul vem investindo e passa por um período de estruturação. Também sabemos que o planejamento traçado pela empresa, por vezes, até acontecer, demora um pouquinho”, analisou a prefeita de Sapiranga.

Secretário apresenta diagnóstico

O secretário de Planejamento, Habitação, Segurança e Mobilidade, Carlos Mauricio Regla, ponderou que a falta de energia elétrica leva a outro problema muito sensível à população. “Sem energia em pontos estratégicos, acabamos sentindo ainda a falta de abastecimento de água e os moradores cobram. Temos problemas, mas não podemos deixar de elogiar a RGE Sul. Muitos postes de concreto foram instalados e diminuiu a queda dessas estruturas. O que aconteceu foi o aumento das reclamações por queda de energia. Outro fator são as podas de árvores. Gostaríamos de contar com um cronograma”, disse Regla.


Situações com RGE Sul e com a Corsan

Integrante do núcleo de Relacionamento com o Poder Público da RGE Sul, Elisandra Castro, explicou que no último ano a concessionária investiu mais de R$ 3 milhões em Sapiranga. “Substituímos mais de 730 postes de madeira, resultando em 63% dessas estruturas no município neste tipo de material”, explica a gestora. Outro detalhe que ela analisou que é preciso melhorar é o aspecto do plantio de árvores próximas da fiação. “Isso depende de uma sensibilização geral dos moradores”, disse.

Além dos problemas de energia elétrica, Sapiranga tem enfrentado constantes e rotineiros episódios de desabastecimento de água. “Estamos diante de um problema que tem se repetido em Sapiranga. A Administração está atenta e sempre solicita com urgência atendimento à população. Recentemente, iniciamos as tratativas para a criação de uma Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (AGESAN-RS) para regular os serviços de água e saneamento na Bacia do Rio dos Sinos”, destacou Corinha. O gestor substituto da Unidade de Serviço da Corsan, em Sapiranga, Rodolfo Fuchs, destaca que o verão é um período de alto consumo, e eventualmente, ocorrem excepcionalidades de romper redes, gerando um grande dano à população. “É uma infelicidade, mas a Corsan possui quadros para consertar todas as intercorrências com tranquilidade”, destaca.

Texto e Foto: Deivis Luz

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  • 201
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse