Dia a dia Política

Retalhos de tecidos repassados à igreja vão parar no MP


  •   
  •  

Sapiranga – Uma situação incomum e inusitada está sob a mesa do Ministério Público (MP). Lideranças petistas, Loivo Rösch Antonio – suplente de vereador -, e Egon Kirchheim, querem que o MP investigue o suposto repasse de roupas por parte da Secretaria de Assistência Social e que teve como beneficiada uma Igreja Evangélica do bairro São Luiz.

Porém, em contato com a Secretaria de Assistência Social, a reportagem foi informada que a denúncia dos vereadores apresentada ao Ministério Público não corresponde com a realidade. Na verdade, o Repercussão apurou que o repasse, de fato, existiu, mas não foram roupas, e sim, retalhos de tecidos e que possuem como origem uma indústria sapiranguense que atua neste segmento.



No documento apresentado pelas lideranças petistas ao MP, Loivo e Egon, associaram o repasse de tecidos com possíveis roupas obtidas na Campanha do Agasalho 2018, denominada Gente Boa Doa Roupa Boa.

Parte dos tecidos repassados pela indústria à Secretaria são utilizados em alguns dos projetos assistenciais e organizados pela Prefeitura. Como não possuem uma utilização certa e o descarte deve ocorrer de forma adequada, houve entendimento de doar parte destes tecidos para a igreja, que no local, desenvolve o projeto Artesãos de Cristo.

Conforme as lideranças petistas, esta denúncia chegou aos gabinetes na Câmara de Vereadores através de um relato de um cidadão sapiranguense. Além disso, o suplente, Loivo, e o vereador, Egon, questionam a utilização de um veículo da Assistência Social no envio dos retalhos até a igreja.

Prefeitura esclarece

A Prefeitura, através do departamento de comunicação, ao ser informada pelo Jornal Repercussão sobre a representação protocolada pela bancada do Partido dos Trabalhadores no Ministério Público (MP), informou que prefere aguardar a notificiação do MP para se pronunciar sobre o caso. Leia a nota enviada ao jornal: “A Administração vai aguardar o encaminhamento pelo Ministério Público, para somente então se pronunciar e somente no procedimento administrativo. Importante destacar, que a Secretária foi ameaçada/questionada pelo suplente do vereador Egon, sr. Loivo em tribuna, porém, o suplente não formalizou à Administração nenhum pedido de informações, preferindo as suposições. Assim, aguardamos os órgãos oficiais”, diz a nota.

Vereadores explicam

Egon Kirchheim (PT), vereador de Sapiranga. “Porque, além do mais, o seguinte, teve uma campanha do agasalho. Como que a população vai acreditar de novo em doar roupa se eles vão e vendem. A gente quer que o Ministério Público investigue. Nós agora vamos esperar uma semana, depois a gente volta aqui de novo para ver o andamento. Por enquanto é só o recebido”.

 

 


 

 

 

Loivo Rösch Antonio (PT), suplente de vereador. “Vereador está lá para investigar. Ele (o cidadão) pediu um respaldo dos vereadores, o que vai ser feito. Ele nos procurou no dia 10. Foi falado em tribuna, ninguém foi atrás para ver, então a gente vai encaminhar para alguma providência.”

 

 

 

 

Texto e fotos: Sabrina Strack

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse