Dia a dia

Nova Hartz quer usar empréstimo do Banco do Brasil para renovar a frota


  •   
  •  

Bens públicos | Prefeitura solicita autorização dos vereadores para captar empréstimo que renovará frota de veículos desgastados

Nova Hartz – A manutenção da frota de veículos tem exigido da Prefeitura aportes mensais próximos dos R$ 30.000,00. Para reduzir esse custo e economizar recursos públicos, a Prefeitura busca autorização da Câmara de Vereadores para contrair um empréstimo bancário e renovar parte da frota de veículos. Este projeto deve ser analisado na próxima segunda-feira (dia 4) pela Câmara. Para isso, desde o início de 2017, a Prefeitura buscou informações e articula com o Banco do Brasil um empréstimo de R$ 1.884.000,00 que, futuramente, se a Câmara autorizar, será usado para comprar mais de uma dezena de veículos. Levantamento da Secretaria de Administração mostra que há necessidade de substituir 16 veículos, entre automóveis, picapes, furgões, ambulância e micro-ônibus. “Necessitamos gastar menos dinheiro público com manutenção de veículos. Hoje, temos uma frota desgastada e com quilometragem muito alta. Estudamos a situação e há muitos casos de problemas mecânicos nos motores, caixa de câmbio e suspensão”, conta Leonel Schefer, chefe de Gabinete e secretário de Administração da Prefeitura de Nova Hartz.



Motivos para renovar a frota de veículos

– O prefeito Flávio Jost explica que muitos veículos (entre automóveis, picapes, furgões e ônibus) são enviados para conserto – mesmo não valendo a pena – pois a Prefeitura não dispõe de outros veículos para substituí-los. “Além disso, veículos em estado ruim de conservação geram insegurança. O gasto mensal com o conserto está em R$ 30.000,00. Nossa frota é antiga e os carros ruins. Entendo que a solução é adquirir carros novos e o Banco do Brasil sinalizou com essa possibilidade”, contextualiza o prefeito.

– No entendimento da Prefeitura, com veículos novos, será possível produzir um trabalho mais adequado e por um custo menor ao erário público. “Gastaremos menos com o parcelamento do financiamento do que consertando veículos. Várias áreas/secretarias serão beneficiadas. Estamos empenhados, e até por isso, informamos na lei enviada à Câmara quais os veículos que necessitam de substituição”, comenta o prefeito.

– Outro exemplo utilizado pelo prefeito para defender a tomada do empréstimo, e a consequente renovação da frota, é o caso da ambulância que estragou. “Temos uma ambulância Ford Transit que a montadora produziu para ser ambulância. Não existe peça de reposição no mercado, apenas no mercado negro. E aqui, agimos dentro da lei. Para conserta-lá, gastaríamos R$ 35.000,00. Aí fica a pergunta: será que devemos consertar veículos assim?”, conclui.


Aquisição de novas máquinas no plano

O dinheiro do empréstimo também será usado para adquirir três veículos fundamentais para a rotina de serviços da Prefeitura. A intenção é comprar uma retroescavadeira, uma escavadeira de porte pequeno e uma caminhonete ou caminhão leve.

A necessidade de comprar uma retroescavadeira decorre dos problemas que o atual maquinário apresenta e o custo alto de manutenção. A escavadeira pequena seria utilizada para limpar valos e arroios na área rural e urbana. A caminhonete ou caminhão leve viria para equipar a Secretaria de Obras para os consertos do dia a dia da iluminação pública.

Para exemplificar a situação da frota, o prefeito Flávio Jost citou o caso do setor de iluminação pública. “O veículo usado, que é utilizado para fazer a manutenção da iluminação, precisa ser consertado rotineiramente. Gastamos, recentemente, R$ 8.000,00 e o carro não vale R$ 2.000,00 devido ao seu estado”, explica o prefeito.

Quer ler o restante desta notícia? Assine a edição impressa do Jornal Repercussão. Ligue para: (51) 3064-2664

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse