Dia a dia

Campo Bom redobra os cuidados para combater o Aedes aegypti


  •   
  •  

Campo Bom – Com a chegada de dias mais quentes, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) relembra a população sobre os cuidados necessários para se evitar criadouros do Aedes aegypti, mosquito vetor da dengue e de outras doenças como zika, chikungunya e febre amarela. É importante redobrar os cuidados, pois as altas temperaturas combinadas com chuvas, favorecem a proliferação de mosquitos. O Aedes aegypti ganha força nos meses mais quentes e úmidos do ano, já que a temperatura ideal para a proliferação do inseto é de aproximadamente 26ºC.

Para combater o mosquito, a Prefeitura, através da SMS, realiza ações conjuntas dos Agentes de Combate a Endemias e os Agentes de Saúde para combater o mosquito ao longo de todo ano, realizando visitas domiciliares com inspeção e coletas de larvas de mosquito. O objetivo é diminuir os focos de depósitos destas larvas. Seja através de orientação ou até mesmo multa. São realizadas pelos 82 Agentes de Saúde, aproximadamente 5 mil visitas mensais para conscientização e orientação aos moradores, além dos 8 Agentes de Combate a Endemias realizando em média 1500 visitas mensais fazendo as coletas larvárias. “A participação da população nas ações de prevenção e combate ao Aedes aegypti é fundamental. É preciso que todos estejam atentos a quaisquer possíveis criadouros em casa, no trabalho e demais locais frequentados. Isso porque não tem forma mais efetiva para evitar a transmissão de tais doenças do que o combate ao mosquito”, destaca a titular da SMS, Suzana Ambros Pereira.



O Aedes aegypti gosta de água limpa e parada. É lá que ele vai depositar seus ovos, sendo que cada fêmea deposita em média 100 ovos, que em condições ambientais favoráveis, transformam-se em larvas e, em um período de 10 dias, em novos mosquitos. Por isso é importante que a eliminação dos criadouros seja realizada pelo menos uma vez por semana. Assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

Para Coordenadora Vigilância Ambiental, Mariana Land, para haver eficácia na prevenção é preciso que todos estejam juntos. “De nada adianta um bairro inteiro ter cuidado se um morador não toma as devidas precauções. Um foco de Aedes aegypti é suficiente para expor uma região inteira ao risco. Algumas recomendações são para que as pessoas procurem utilizar calça e camisa de manga longa e de cores claras, e ainda, utilizem repelente e reaplique-o de acordo com as recomendações do fabricante”, ressalta Mariana.

Como combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti:

1 – Mantenha bem tampados: caixas, tonéis e barris de água.

2 – Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira sempre bem fechada.

3 – Não jogue lixo em terrenos baldios.

4 – Se guardar garrafas de vidro ou plástico, mantenha sempre a boca para baixo.

5 – Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje.

6 – Encha os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda.

7 – Se guardar pneus velhos, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva.


8 – Limpe as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas possam impedir a passagem da água.

9 – Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água, pelo menos uma vez por semana.

10 – Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, toda semana. É importante trocar a água desses vasos com frequência.

Ações de prevenção e conscientização

Levantamento de Índice com tratamento: O ACS e o ACE realizam esta tarefa diariamente. São as visitas de casa em casa, com o objetivo de conscientização e orientação aos moradores, para prevenção ao mosquito. Coletas larvárias são realizadas neste momento, somente nas casas que contem depósitos com água parada e foco de mosquito.

Pontos estratégicos: Acompanhamento quinzenal em locais com grande potencial de acumular água. Ex: Cemitérios, praças públicas com fontes, borracharias, piscinas públicas.

Levantamento Rápido de Índice para Aedes aegypti ( LIRAa´s): Realizado somente nas cidades infestadas pelo Aedes aegypti. Campo Bom realiza 4 LIRAa´s ao ano. São visitas simultâneas em toda cidade, pelo período médio de 7 dias. Assim é possível acompanhar o desenvolvimento da população da espécie Aedes aegypti.

Revisitas: Somente nas residências que tiveram coletas de larvas com confirmação, via laboratório da SMS, da espécie Aedes aegypti. Irão receber nova visitação, o mais breve possível, afim de averiguar se houve adequação da situação de acumulo de água no pátio. A reincidência, pela segunda vez, de coleta de larvas, resultará na terceira visita pela Vigilância Sanitária e caberá multa. A Vigilância Sanitária poderá aplicar as punições conforme a Lei 1.606/94 do Código de Defesa do Município, podendo chegar a valores de 29,49 URM (Unidade Referencia Municipal), em torno de R$ 100.

Sala de espera: Em dias de chuva na cidade os ACE estão disponíveis para atender a demanda de orientação que a população precisa. É realizado então a sala de espera nas Unidades de Saúde. Momento ideal para conhecer as larvas de mosquito, quais os bairros mais infestados e como prevenir a Dengue.

Denúncias: É possível que o morador faça denúncia de algum local que acumule água. Podem ser feitas pelo telefone 3598 8600, ramal 8770.

Fonte: Prefeitura de Campo Bom

Criação de Sites Porto Alegre

  •   
  •  
  • 91
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Talvez você se interesse